quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Morder na Creche

Vou transcrever o texto que a educadora do sassaranico me deu.

"Morder...
Uma coisa muito comum nas Creches - mas que costuma provocar muita preocupação nos pais - é as mordidelas. Principalmente no período de adaptação, em que, além da maioria das crianças estar a viver a sua primeira experiência social extra-familiar, os grupos estão em fase de formação, de "primeiras impressões", ou em situações de entrada de crianças novas para a sala, as mordidas quase sempre fazem parte da rotina diária das crianças. Não é fácil lidar com esta situação, tanto para os pais ( é muito doloroso receber o filho com marcas de mordida!), quando para nós, Educadores (que nos sentimos impotentes, na maioria das vezes, sem conseguir impedir que elas aconteçam).
É importante pensarmos sobre esse tema; Por que é que as crianças pequenas se mordem umas às outras e às vezes até a si mesmas? Expressão de agressividade? Violência? Stress? Sentimento de abandono?
As crianças pequenas geralmente mordem para conhecer. Para elas, tudo o que as cerca é objecto de interesse e alvo de curiosidade, inclusive as sensações. O conceito de dor, por exemplo, é alvo que vai sendo construído a partir das suas vivências pessoais e principalmente sociais, e não é algo dado a priori.
Mordendo o outro, a criança experimenta e investiga elementos, físicos, como a sua textura (as pessoas são duras? São moles? Rasgam? Partem?), a sua consistência, o seu gosto, o seu cheiro; elementos "sexuais" (no sentido mais amplo da palavra), na medida em que morder proporciona alívio para as suas necessidades orais ( nelas, a libido está basicamente colocada na boca) e ainda investiga elementos de ordem social, isto é, que efeitos esta acção provoca no meio (o choro, o medo ou qualquer outra reacção do amiguinho, a reprovação de Educador, etc).
É claro que, vencida esta primeira etapa de investigação, algumas crianças podem persistir em morder, seja para confirmar as suas descobertas ou para "testar" o meio ambiente (disputa de poder, questionamento de autoridade, etc). Ou ainda, pode ser uma tentativa defesa: ela facilmente descobre que morder é uma atitude drástica. Raramente a mordida é um acto de agressividade, e muito menos de violência, a não ser que estejam a viver alguma situação de intenso stress emocional em que todos os outros demais recursos estejam esgotados.
Com o passar do tempo de trabalho em grupo o Educador tem a possibilidade de planear as suas acções e estratégias no sentido de fazer com que as crianças possam reflectir, sobre a questão."

3 comentários:

Didi e Pepe disse...

....deixa mesmo a pensar....

no mes passado, o pepe mordia o mano, pra ter o k ele tinha na mao....n compreendia, como e possivel eles estarem em casa d meus pais, sem contacto com outras crianças, e o pepe reagir assim...agora percebo-obg

s m permites vou copiar, pk axo importante este assunto

bjk fofos
lia, didi & pepe22m

babynha disse...

Ola mamã Lia...
desde já um obrigada pelos comentarios assiduos ao meu blog... Quanto ao post " Morder na Creche" fico contente por saber que ajudou pelo menos alguem e fico muito contente se quiseres copia-lo para o blog do Didi e Pepe. Afinal quantas mais pessoas lerem mais pessoas poderam ficar elucidadas sobre o porquê de afinal os meninos morderem.
BJS

Gambozina disse...

Fiquei a perceber um pouco melhor os motivos deles. O pediatra já tinha falado algo sobre isso, mas muito ao de leve. A boca é uma das maneiras deles conhecerem o mundo. Obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...